O melhor ainda está para vir

30.12.17

O Instagram diz que estas são as minhas #bestnine fotografias do ano que agora termina e é com elas que ilustro o último post de 2017.
Não me alongando muito em reflexões e deixando para mim a análise das mesmas, olho para 2017 com carinho. Foi um ano de muito trabalho, de grandes desafios, de pequenas conquistas e de grandes aprendizagens. No fim, o balanço é positivo, porque, entre outras coisas, na recta final consegui aperceber-me do que tinha falhado e ajustar o leme para o que está para vir. Em 2018 quero fazer diferente, quero fazer melhor.
Para o ano que não tarda começa, por agora existem desejos e intenções - deixo os objectivos e as metas para delinear mais à frente - e todos eles com um denominador comum: manter o foco no que é importante para mim e deixar a vida acontecer.
Dizendo assim parece fácil, mas acontece que, com a corredia dos dias e a velocidade com que tudo acontece,  é para mim fácil perder este Norte, ser embrulhada na corrente, não me conseguir ouvir no meio de tanto ruído e não ter espaço nem agenda para o improviso.
Por isso, para este novo ano, peço capacidade e discernimento para saber parar, para saborear mais os pequenos momentos, para procurar em mim as respostas e para fazer disso um estilo de vida e uma inspiração. 
Olhando daqui, 2018 tem tudo para ser uma viagem memorável. Espero conseguir manter-me fiel às intenções que hoje partilho com vocês.
Entrem no novo ano com o pé direito, com os dois pés, em cima da cadeira, a bater panelas, a lançar confettis, a dormir no sofá ou com uma nota na mão. Entrem como quiserem, mas entrem bem. 

Feliz 2018!  

Sem comentários:

Enviar um comentário