Tecer, Amar, Viver

30.10.15

Estes três verbos podem muito bem descrever o que por aqui se passou esta semana. Não houve tempo para post's, porque o tempo não estica e entre Tecer, Amar e Viver, actualizar o blog acabou por ficar para depois. Escrevo hoje, que terminei esta peça - uma encomenda que tanto gozo me deu fazer -, que é mais um hino ao Amor, desta vez em tons terra com brilhos de um dourado velho. Dei-lhe o nome de "Mãe Natureza", porque achei que, entre o toque rústico do tronco que lhe serve de suporte e que despreocupadamente foi apanhado durante um passeio e as suas imperfeições, lhe ficava perfeito. Bom fim-de-semana!





Tapeçarias: yay or nay?

22.10.15

Todos temos uma costela de decoradores, nem que seja da nossa própria casa, mas a verdade é que a opinião de quem sabe faz toda a diferença e ao contrário do que por vezes se pensa, não torna um espaço impessoal. A Joana é designer de interiores, minha amiga e pessoa de muito bom gosto, por isso foi a ela que recorri para dar uma opinião aqui no Blog sobre o uso de tapeçarias nas paredes e sobre a tendência dos wall hangings, como podem ver exemplos no meu Pinterest ou no Facebook.

Sentes que, à semelhança do que se passa na moda, os anos 70 também são tendência no design de interiores?
Há de facto uma tendência para a escolha de uma ou outra peça, como pormenor "chave", para enquadrar num ambiente de base minimalista e neutro,  através de peças de família recicladas ou do redesign em peças contemporâneas, com inspiração nessa época e estilo. Desde mobiliário a padrões, são pormenores que tornam o espaço mais ecléctico e pessoal.
Gosto como apontamentos.


Seguindo redes sociais como o Pinterest ou o Instagram, é possível ver que as paredes têm ganho destaque, nomeadamente com peças decorativas como as tapeçarias. Que achas deste tipo de peça como elemento decorativo?
Dependendo da restante decoração, são peças que coordenadas com tons e materiais adequados, ficam muito "trendy".
Podendo ser conjugadas com molduras e/ou outras peças,  conferem à parede mais personalidade. Adoro!


Na tua opinião, existe um estilo onde estas peças encaixam melhor, ou achas que conseguem ser transversais?
Gosto imenso de as ver em quartos de criança (do bebé ao adolescente), por ser um elemento personalizado, possível de trabalhar a nível de tons, materiais e texturas, tornando-se apelativo e enquadrando-se na decoração. Embora em alguns ambientes e casas mais "cool" faça todo o sentido.


Qual a importância dos têxteis, de uma forma geral, num projecto de design de interiores?
Os têxteis são muitas vezes o ponto de partida para a selecção da restante decoração, através de texturas, padrões e cores, criamos o conceito pretendido e tudo flui até à sua conclusão. A nível de conforto são fundamentais!

Para conhecer melhor e seguir o trabalho da Joana, visitem o site e a sua página de Facebook.
Obrigada Joana!


Boho Babys

21.10.15

O estilo Boho está um pouco por todo o lado de forma transversal, começando na moda e acabando na decoração e claro, os mais pequenos não passam ao lado da tendência. Pelo Pinterest e Instagram desfilam ideias de quartos ecléticos, que misturam estilos de forma ímpar e que conseguem o equilibrio perfeito entre o minimal e o boémio com um toque meio gipsy. Existem alguns elementos que se repetem nestes quartos impecavelmente decorados [e onde até a desarrumação deve sofrer um qualquer styling], entre eles as tapeçarias de parede. Em tamanho XXL, médio e até mini, em tons neutros, pastel ou mesmo coloridos, há de tudo um pouco e eu escolhi três ideias para quem espera um bebé ou anda a decorar os quartos das crianças. Este é um tipo de peça que já tive a felicidade de criar ou fazer por encomenda e que também podem espreitar aqui, aqui e aqui!

créditos fotográficos: 1 | 2 | 3

"Nas nuvens"

20.10.15

Entre umas e outras encomendas, tento sempre criar peças novas, colocar em prática ideias e desenhos ou simplesmente deixar-me ir, numa espécie de free weaving. No fundo e sem me preocupar muito com isso, acho que ainda estou à procura de uma linguagem minha e por isso tenho a necessidade de experimentar coisas diferentes para perceber o que se identifica mais comigo. Esta peça é a mais recente e foi nascendo à medida que ia sendo tecida, sem amarras e numa espécie de meditação alternativa. Se calhar por isso o resultado ficou entre o etéreo e o cremoso, com cores pastel que me lembram um final de tarde de um dia em que o sol tenta romper um céu nublado. 

nome: "nas nuvens"
medidas | 23 cm x 33 cm [mais 20 cm de franjas] 
cores: pastel
materiais: teia em algodão. trama em 4 tipos de fios diferentes

*está disponível


All Roads x Anthropologie

19.10.15




Fundada em 1992, a Anthropologie dispensa para muitos, grandes apresentações. A marca de roupa, acessórios e design de interiores, tem vindo ao longo da sua existência a primar pelas colaborações com diferentes artistas e é sobre uma delas, que gosto particularmente, que trata o post de hoje. Robert Dougherty e Janelle Pietrzak formam o estúdio criativo e de design têxtil, All Roads - sobre quem prometo um post em breve - e que este ano desenharam para a marca este conjunto de peças de tons quentes e texturas apuradas inspiradas nos canyons, desertos e colinas do Sul da Califórnia. Quero tudo!


fotografias | Anthropologie

baby branch weaving

2.10.15

O bebé cá de casa, tem uma nova peça a animar as paredes do quarto. Feita e desenhada por mim, com um tronco apanhado no jardim e inspirada neste editorial da Milk Magazine. É mais uma forma de tecer, utilizando elementos da natureza e que resulta muito bem. Gostam?