"trapilho"

30.6.15



Já esteve "na moda" mas acabou por ser vulgarizado ao ponto de ser olhado de esguelha. A mim cansou-me a bijuteria e as malas que pareciam multiplicar-se por todo o lado sem dó nem piedade. Fiquei com "trapilho" pelos olhos e sem capacidade para olhar para este material sem ser de uma forma depreciativa. Mas os anos passaram, a "moda do trapilho" amainou, apareceu a Wool And The Gang com projectos tricotados com este material e mais recentemente, por cá, a Hi-lo Handmade com clutchs e headbands a mostrar o potencial deste fio em tecido que tem ainda a vantagem de existir em inúmeras cores e padrões. Decidi experimentar em tear o seu efeito e gostei da textura que cria e do facto de os fios da teia ficarem visíveis e contribuírem para o desenho da peça. Para além disso, é uma óptima opção para quem é alérgico a lã ou procura uma tapeçaria que ao toque seja "mais fresca". O resultado está aqui!



teepee "village"

26.6.15





Só lhe dei o nome no fim, embora a cada fila que ia terminando me fosse parecendo cada vez mais uma pequena vila de tendas teepee. A ideia era experimentar um ponto novo - o das "tendas" - mas não tinha grande ideia nem tão pouco um esboço da peça, tinha apenas pensado em utilizar só o branco, mas o desenrolar da peça pediu cor - e este lado imprevisível tem o seu encanto -, e um acabamento rústico, algo imperfeito até, que se concretizou na forma como a peça está presa à vareta de madeira que a suporta, com pequenos nós.
Tal como as outras, esta também é uma tapeçaria tecida em tear manual, com 20 x 60 cm (medidos até ao fim das franjas), com a teia (fios verticais que formam a base e que neste caso se transformam em franjas) em 100% algodão branco e a trama em 100% lã de Arraiolos. 
O resultado é uma peça colorida, transversal, que fica linda numa zona social mas também num quarto de criança. Concordam comigo?

2 meses

24.6.15

Dois meses de ti e um livro que é uma festa! Tivéssemos nós mais tempo e aproveitávamos a data para experimentar um dos projectos do livro da Ana que para quem ainda não teve a oportunidade de ver, sublinho, é um must have no que toca a deixar a pequenada e suas mães a rebentar de orgulho em cada festa de aniversário. Passaram dois meses (já!) e a nossa vida tornou-se uma festa, os dias tornaram-se doces como cake pops e coloridos como espetadas de fruta. Daí que o livro da Ana passou a ser uma espécie de manual cá de casa, porque num ano em que temos a maior das razões para comemorar, os dias são sempre a festejar!

Por aqui...

19.6.15

Por aqui a vida vai calma. O Sebastião continua um bebé calmo, que dorme as suas sestas e dá noites, até agora, tranquilas. Isso não quer dizer que não dê trabalho e que não reclame colo, mimo e atenção em doses generosas, porque naturalmente que sim e eu estou de braços abertos sempre que chama por mim. Mas também é verdade que me tem permitido, embora a um ritmo totalmente diferente, continuar a criar as minhas peças, responder a encomendas, ler, pesquisar e ter momentos de pausa. Por estes dias, desenhei e acabei uma tapeçaria para um bar de praia e decidi experimentar um novo material - o tecido de algodão ou vulgarmente chamado "trapilho". Apaguei 35 velas naquele que foi o melhor aniversário até hoje e finalmente pendurei a peça que durante a gravidez desenhei e fiz para o meu bebé. Na próxima semana comemoramos dois meses - eu de mãe e ele de filho - desta aventura que é sempre a somar, sejam momentos, lições, sentimentos ou preocupações. 

Bom fim-de-semana gente boa, nós vamos andar por aqui

"A Minha Festa" - Passatempo

4.6.15
Já lá vai o tempo em que uma festa de aniversário para crianças era uma coisa relativamente simples de organizar. Uma mão cheia de guloseimas, outra cheia de amigos, uma mouse de chocolate e um bolo de aniversário e a festa estava feita e era um sucesso. Mas os tempos mudaram, as festas passaram a eventos e a criançada muito mais exigente e com olho clínico para detalhes. Vai daí, hoje querem festas temáticas, decoração a condizer e dessert tables de levar uma mãe à loucura! 

A pensar nisso, quem melhor sabe do tema decidiu ajudar a simplificar a vida de quem enfrenta este desafio e depois de coleccionar experiências na Save The Date e mais recentemente na To Be Kid, a Ana Coelho Duarte decidiu vir em nosso auxílio e lançar o livro "A minha festa". Nesta espécie de bíblia das festas, estão inúmeros guias com instruções passo-a-passo, dicas preciosas de decoração e truques para poder transformar um objecto banal como uma caixa de fruta, num fantástico suporte de bebidas numa festa piquenique! Mas há mais, tal como pormenores de organização, ideias de como organizar listas de compras, tempos de execução e quantidades tendo em conta o número de convidados. Também não foram esquecidos, os alimentos saudáveis que podem e devem estar presentes nas festas de aniversário dos mais pequenos, lembrando que não é necessário estar tudo carregado de açúcar e farinha.

A pensar em todas as mães à beira de um ataque de nervos porque a festa do mais pequeno se está a aproximar a passos largos, temos um livro para oferecer! Para se habilitarem a ganhar só têm, até às 00.00 do próximo dia 10 de Junho, fazer Like nas páginas de Facebook da Save the Date, da To Be Kid e da W e ∇ v i n g e nomear duas amigas nos comentários ao post sobre o passatempo publicado na página de Facebook, que gostassem de ter este livro. A vencedora é escolhida via Random e anunciada na manhã do dia 11 de Junho. Mais fácil era impossível, por isso, metam as mãos na massa...

Quem quiser ver o livro em primeira mão e conhecer a Ana e a sua energia contagiante, pode aproveitar o fim-de-semana para dar um passeio na Feira do Livro de Lisboa e ir até ao stand da Editorial Presença dia 06 de Junho, das 18.30 às 20.00h e no dia 7 de Junho, das 16.00 às 18.00.

Boa Sorte!