Espera

13.4.15

Às 37 semanas, são do que são feitos os dias agora, de espera. Escolho os últimos detalhes, arrumo as gavetas, coloco e volto a colocar por tamanhos, mas cada dia continua a ser um milénio. Tenho sono como nunca tive até então e cansaço como nunca havia sentido. Os dias são lentos, talvez demais para quem tem um ritmo no corpo que não se compadece com horas de sofá a olhar a paisagem lá fora. Leio, pinto, desenho, vou ultimando peças que deixei por terminar ao mesmo tempo que recebo uma grande lição, a de que é hora de abrandar, de saborear as pequenas coisas, de parar para me ouvir e levar o processo de criação por esse novo caminho. Alguém me disse um dia que a gravidez era uma fase muito serena e inspiradora - é sem dúvida - mas é neste momento final que sinto a descer em mim uma névoa de calmia e de paz que me fazem acreditar que há muita coisa boa para vir. E a primeira não tarda a chegar...

2 comentários: