35

30.3.15

Falta uma semana para o nosso objectivo - as 36 semanas - mas agora que entrámos na recta final, o aborrecimento bateu forte e não quer ir embora. Por mais que saiba que tem de ser, que falta pouco e que o pior já lá vai, não consigo ser racional e faço tempestades em copos de água. Já li, vi filmes, enchi o caderno de desenhos, apontamentos e ideias, mas tudo me começa a fartar. Já tentei focar-me no facto de que preciso de abrandar e que esta é uma boa altura para treinar o "Movimento Slow". A Kinfolk está ao lado da cama com uma entrevista com o Carl Honoré e até já vi o vídeo da conferência TED, pesquisei o tema e quem sabe ainda encomendo o livro, mas...acabo sempre por achar que quando tudo estabilizar é que terei oportunidade de colocar a teoria em prática. Também estou com a sensação que quando me deixarem levantar e fazer tudo de uma forma normal, vou ter uma aversão à cama que só a vou querer ver quando estiver a desmaiar de sono. E isto serve como resposta a quem tantas vezes me diz: "quando o bebé nascer, tenta descansar quando ele dormir, não te metas a passarinhar pela casa e a fazer mil coisas". Exacto, a primeira coisa que vou pensar fazer é mesmo deitar-me mais umas horinhas!

4 comentários:

  1. Calma!!! Sei que é dificil, já te devem ter repetido 500 mil vezes que é por uma boa causa... Quando ele nascer, vais ver que vais ter saudades da cama!!! Beijinhos!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :))))))))
      neste momento não consigo nem imaginar esse cenário!! acho que vou andar a dormir em pé só para não me deitar :D
      beijinhos

      Eliminar
  2. Força miúda, já não falta quase nada. Aliás até és uma sortuda! Eu tive que fazer repouso desde as 12 semanas e a Maria nasceu com 41!!!! 😀 E depois não tive aversão à cama nem ao sofá, pelo contrário LOL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. a sério??!!! realmente, é queixar-me de barriga cheia :))))
      beijinho Tânia e obrigada pela dica do IG ;)

      Eliminar