Março

31.3.15


Março trocou-me as voltas! De um mês que parecia que ia ser um rodopio, cheio de actividades e novidades, passou rapidamente a um mês em que os dias custaram a passar, um mês de espera, um mês de repouso absoluto que saltou entre a frustração, o aborrecimento e a rendição a uma condição contra a qual nada podia fazer. Felizmente o mês acabou e o final do repouso já se vê ao longe. Que venha Abril, um mês que até hoje não me tinha como fã, que só me lembra a chuva que detesto mas que também rapidamente pode trocar-me as voltas. Tudo indica que este mês de Abril a minha vida vai dar uma volta de 180º, vai começar o maior rodopio, o melhor de todos os projectos, a grande aventura da vida. Ao que parece, no mês da Revolução, eu vou ser mãe!

Boro

31.3.15

Existem tecidos que contam histórias. No início deste ano uma passagem pelo MUDE levou-me a conhecer o Boro - uma técnica japonesa que consiste em remendar e cerzir diferentes tecidos, tingindo-os posteriormente. Hoje, uma passagem pela pasta de fotografias por organizar levou-me a partilhá-lo convosco. Na altura fiquei maravilhada, ainda estou hoje, mas ver ao vivo as peças deu-lhes outra dimensão. O Boro era uma técnica usual em todo o território japonês no final do século XVIII até meados do século XX. Na altura, os têxteis eram criados por necessidade e numa lógica de auto-suficiência, nada se perdia, tudo era reparado, reutilizado, transformado ou reciclado até ao fim dos seus dias. Hoje, passado um século do seu desaparecimento, o Boro é apreciado enquanto trabalho artístico e não deixa de ser uma mensagem de reutilização e transformação para uma sociedade fast forward. A exposição já não está patente, mas na Internet consegue-se encontrar informação sobre o assunto. Espero que gostem.



35

30.3.15

Falta uma semana para o nosso objectivo - as 36 semanas - mas agora que entrámos na recta final, o aborrecimento bateu forte e não quer ir embora. Por mais que saiba que tem de ser, que falta pouco e que o pior já lá vai, não consigo ser racional e faço tempestades em copos de água. Já li, vi filmes, enchi o caderno de desenhos, apontamentos e ideias, mas tudo me começa a fartar. Já tentei focar-me no facto de que preciso de abrandar e que esta é uma boa altura para treinar o "Movimento Slow". A Kinfolk está ao lado da cama com uma entrevista com o Carl Honoré e até já vi o vídeo da conferência TED, pesquisei o tema e quem sabe ainda encomendo o livro, mas...acabo sempre por achar que quando tudo estabilizar é que terei oportunidade de colocar a teoria em prática. Também estou com a sensação que quando me deixarem levantar e fazer tudo de uma forma normal, vou ter uma aversão à cama que só a vou querer ver quando estiver a desmaiar de sono. E isto serve como resposta a quem tantas vezes me diz: "quando o bebé nascer, tenta descansar quando ele dormir, não te metas a passarinhar pela casa e a fazer mil coisas". Exacto, a primeira coisa que vou pensar fazer é mesmo deitar-me mais umas horinhas!

bom fim-de-semana

27.3.15
Tal como na sexta-feira passada, baseado no que vi durante a semana, deixo-vos hoje mais quatro sugestões para o fim-de-semana, para juntarem ao sol, às temperaturas de verão e às actividades no exterior:

- um documentário polémico;
- um tumblr;
- um lifestyle blog com uma mãe cheia de pinta;
- e uma canção!

Espero que gostem e que se divirtam,

Rita




tumblr

26.3.15
O tumblr é aquela ferramenta que sempre gostei por ser mais visual, mas que ainda não me tinha conquistado ao ponto de ter conta. Sigo alguns que gosto bastante, acho que pode ter uma dinâmica interessante e é mais uma boa fonte de inspiração, por isso, decidi experimentá-la e criar uma espécie de diário visual utilizando o tumblr como caderno virtual, com imagens minhas mas, quem sabe, outras também. Os tons brancos e luminosos por agora perduram porque também é só o que me apetece - o final da gravidez e o facto de estar há duas semanas de repouso rodeada dos mesmos tons está a levar-me por aí e eu estou a gostar da viagem. Deixo-vos por isso o endereço do meu caderno virtual para que o possam também acompanhar e se tiverem conta e quiserem partilhar, usem a caixa de comentários para o efeito para que vos possa seguir também.


Até já,
Rita


Hicks

24.3.15

É uma das minhas mais recentes descobertas. Sheila Hicks, americana, artista, 81 anos de sabedoria. Foi na pintura que Hicks iniciou a sua formação, mas uma temporada na América do Sul despertou o seu interesse pelo trabalho com fibras têxteis. Pensando sobre as tradições de países como o Peru, as cores características da Guatemala ou os padrões mexicanos, não deverá ser difícil este despertar! Com uma extensa lista de prémios e outra igualmente vasta de exposições, Sheila Hicks divide hoje o seu tempo entre o seu estúdio em Paris e Nova Iorque. É fácil descobrirem mais sobre os seus projectos na Internet e neste momento é também possível apreciar o seu trabalho na Hayward Gallery, em Londres até 19 de Abril, e no Palais de Tokyo, em Paris, a partir do dia 25 de Abril. Uma mulher-inspiração, que encerra em si um mundo de viagens e saberes sobre o trabalho com têxteis de uma forma geral, onde se inclui a tecelagem manual. Espero que gostem. 

34

23.3.15

Chegámos às 34 semanas, já não falta tudo! O corpo já se queixa menos, os dias passam mais rápido e mesmo não saindo do mesmo lugar nem da mesma posição, tem sido possível diversificar. Tenho pesquisado e visto várias coisas na Internet que andavam pendentes e descoberto pessoas, projectos e técnicas inspiradoras. O tear mais pequeno juntou-se às revistas e livros ao lado da cama e tenho feito algumas experiências, acompanhadas de desenhos de várias peças a experimentar de futuro. E não menos importante que tudo o resto, as mensagens, testemunhos, exemplos e dicas que vão chegando são uma espécie de lufadas de ar fresco nos dias mais abafados. O meio desta semana é o primeiro objectivo desta caminhada, porque é dia de consulta, de avaliar e fazer o ponto da situação. Não querendo ser optimista demais, no fundo tenho uma leve esperança que me aligeirem o repouso, mas não faço ideia qual a probabilidade de isso acontecer. Pelo que, se houver experiências desse lado que queiram partilhar, espero ansiosa por as ler!

*foto: mariana sabido

fim-de-semana

20.3.15

Uma revista - Kinfolk Issue Fifteen, the Entrepreneurs Issue;

Um filme - Inherent Vice;

Um artista, designer e blogger com alma boémia - Justina  Blakeney

Um diy para adultos e crianças - teares de cartão

Bom fim-de-semana gente ♡

na escola

20.3.15

Na semana passada voltei à escola, mais concretamente à sala da pré-primária para uma actividade de teares em cartão. A ideia era mostrar e ensinar o movimento mais básico da tecelagem - por cima, por baixo, por cima, por baixo - explicando-lhes de uma forma muito sucinta o que era isto da tapeçaria e dos têxteis. Como estamos a falar de crianças entre os 4 e os 5 anos e de 25 ao todo, os teares foram feitos em casa com cartão de caixas de legos. Escolhi uma medida pequena - 10 x 10 - para que não se fartassem e pudessem levar para casa uma pequena peça, e cortei as ranhuras por onde passa a teia - o fio vertical - com um intervalo de 1 cm. Ainda apanhei uns pauzinhos e tratei-os, para servirem de suporte e lá fui eu!
Quando cheguei, tinha 25 pares de olhos arregalados a olhar para mim e a ouvir atentos as primeiras explicações. Assim que distribuí os teares, meteram mãos à obra, umas vezes certo outras errado, sempre a perguntar se estavam a fazer bem e preocupados com as combinações de cores que escolhiam.
O resultado foi bem giro, eles gostaram da experiência, de uma forma geral perceberam o movimento básico, adoraram a minha barriga, encheram-na de festas e a mim de perguntas sobre o bebé  e ainda me fizeram desenhos antes de sair. 
Para mim foi uma estreia que adorei e que tenho muita vontade de repetir. Por isso, pais, mães e educadores, se acharem que pode ser divertido e interessante, falem comigo!

baby boy

19.3.15

Hoje a volta do correio trouxe um mimo para mim - a Kinfolk - e outro para o baby S. - [1] este conjunto da Staminee, que adorei mal vi online, pelo corte e pela cor, mas que me deixou ainda mais apaixonada assim que lhe toquei - é tão delicado e macio que apetece não largar mais! Tenho a certeza que o pequeno S. vai adorar vesti-lo.
Como sabem, o facto de estar de repouso absoluto e de ter deixado algumas tarefas para tarde demais, impossibilita-me hoje de tratar da nursery como queria. Tenho algumas ideias, comprei algumas coisas para o efeito, mas nunca a decorei verdadeiramente. Uma tarefa que vai ter de ficar para mais tarde na prática, mas que me vai ocupando na escolha e compra de alguns detalhes e na conjugação dos mesmos. Ideias, imagens, blogs, marcas e projectos sobre o assunto são muito bem-vindos. Se os tiverem, partilhem comigo.

[2] art print "hey babe, take a walk on the wild side", Violeta Cor de Rosa [3] tapeçaria de parede 17 x 30 cm, we∇ving [4] cabeça de veado de montar, Zara Home

Efeito Hoffman

17.3.15

Em dias cinzentos e aborrecidos, podia viver dentro de um vestido da Mara Hoffman! Esta explosão de cores e prints misturados com um lado místico, que, embora tenda para as cores mais neutras  e os padrões mais simples, me deixam sempre de olhos arregalados e a cabeça a fervilhar, são uma espécie de banho de inspiração para mim. Confesso que é com facilidade que dou por mim a transformar na minha cabeça, qualquer padrão e corte numa tapeçaria. Mas não são só os padrões que me aguçam a criatividade, são os jogos de cores também, que acabam por me incentivar, ainda que na grande maioria das vezes seja apenas no caderno de esboços, a arriscar misturas que à partida me parecem pouco prováveis. Gosto de fontes de inspiração assim, que nos motivam a "sair da caixa" e por isso muitas vezes dou por mim a navegar pelas imagens e plataformas digitais da criadora norte-americana. Ao mesmo tempo que escrevo este post, estou a namorar o estojo dos lápis de cor e sei que assim que fechar esta janela, vou mergulhar no meu caderno e testar futuras combinações. Mas antes de ir, deixo-vos o desfile da colecção de Primavera, para se inspirarem também.

*fotos: mara hoffman

33

16.3.15
Chegámos às 33 semanas, YAY! Pesas 2kg, tens um narizinho redondo e uns lábios que parecem desenhados. Cada dia que passa é uma vitória rumo à liberdade, uma recompensa por este repouso imposto que estou a aprender a digerir e a levar com ligeireza. O choque de ter de ficar deitada e fechada já passou, persiste o medo e a ansiedade que por vezes parecem esmagar-me. Graças às dicas, ideias e sugestões que têm chegado, olho de uma forma mais positiva para os dias que tenho pela frente. Há filmes que ainda não vi, livros que não li, lojas, sites e blogs em suspenso para descobrir, este blog para alimentar, ideias para amadurecer, contactos para fazer e decisões para ponderar. Tudo a ser feito num ritmo lento, sem pressas, porque desacelerar também é coisa que preciso de aprender. Vamos fazer isto um dia de cada vez, com paciência e tentando que cada dia seja sempre diferente do anterior. Por isso, filmes imperdíveis, documentários fantásticos, livros que se devoram em menos de nada, séries, sites, revistas...vale tudo, mandem vir.

pa | | se

13.3.15

Março prometia tanto...ia ser um mês cheio de coisas para fazer, cheio de objectivos, de projectos, para depois abrandarmos o ritmo. Mas trocaram-nos as voltas e esta foi a última fotografia antes de nos enfiarem num repouso absoluto. O último dia de ar puro do próximo, se tudo correr bem, mês. A última tarde em que foi possível sentar-me descontraída numa esplanada, ao invés de deitada e desconfortável no sofá.
Sei que outros valores se levantam agora e tudo o que não quero é um parto pré-termo e um bebé prematuro, mas confesso, não sei como vou aguentar. A isto junta-se a ansiedade de estar a fazer alguma coisa mal, de ao mudar de posição poder estar a fazer algum esforço. A frustração de não ter terminado a nursery, de não ter sequer criado um baby weaving para o Sebastião, de ter tanta coisa para preparar que agora vou ter de delegar. Mais, as encomendas que ficaram pendentes, as ideias no papel...
A televisão aborrece-me e as dores de corpo ao segundo dia de repouso tiram-me do sério. Não me apetece ver revistas e fico com dores nos braços de ler duas páginas de um livro seguidas. O blog poderá ser um escape e uma forma de ocupar o tempo, mas também não consigo prometer.
Dicas, ideias e sugestões é coisa que neste momento preciso aos milhões, por isso, se as tiverem, partilhem! Cá as aguardo.

belly session

9.3.15



A nossa belly session com a Mariana Sabido foi um final de tarde divertido com cheiro a Verão! Com 32 semanas de Sebastião e uma barriga que cresce a olhos vistos, lá fomos divertidos, sem produções, sem roupa nova e de cara apenas levemente colorida pelos dias de sol que antecederam. Escolhemos os lugares que mais condizem connosco e deixámos o resto nas mãos de quem sabe, a Mariana! O resultado, prometo que mostro em breve no blog...

belly session

4.3.15

Muito em breve vamos registar a nossa gravidez, ao pôr-do-sol de um dia que promete ser bem primaveril. O sítio está mais ou menos escolhido, mas ainda não em definitivo e depois de meses de leggings e camisolões, confesso, estou farta desta "farda" até aos olhos. Perfeita para o dia-a-dia em termos de conforto, para um registo que ficará para a vida dou por mim a achar que não é tanto assim. Apetece-me uma coisa nova, mais fresca, leve e que faça pandam com o dia que [estamos a fazer figas] promete estar!
Claro que, com sete meses de gravidez milagres não se fazem, principalmente quando eu não me dou bem com calças de maternidade, não gosto de elásticos e qualquer tipo de acessórios a apertarem-me a barriga e aponto sempre o foco para as zonas das lojas onde os modelos para pré-mamãs não estão pendurados. Nada contra, apenas não me seduzem...
Sendo assim, fico reduzida a vestidos ou macacões, com cortes estrategicamente colocados, quimonos ou casacos abertos e tecidos fluídos que não apertem! A juntar a isso, procura-se que fique para o Verão, que seja em tons neutros ou suaves e que na etiqueta esteja escrito: "Rita, é a tua cara!"
Partindo destes princípios e depois de navegar por algumas lojas online, resta-me ir procurar a solução perfeita...Desejem-me sorte!

*fotos: zara

março

3.3.15

Colocando assim em perspectiva, março promete ser um mês que vai passar num sopro, que vai dar trabalho e que vai trazer novidades com a Primavera. Os dias parecem cada vez mais amenos, por isso já ando a fazer olhinhos à mesa lá de fora, ansiosa para me mudar para lá, pelo menos nas horas de "maior calor". É o mês em que vamos fazer a nossa Belly Session, é mês de ecografia e de ver como está Dom Sebastião na minha barriga, é o mês em que a nossa baby nursery tem de ficar definitivamente pronta - e ainda há tanto para escolher e fazer...é a altura em que tem de ficar quase tudo pronto, mas que me cheira que não vai ficar...Para além disso, tenho agendadas umas actividades bem giras, vou dedicar-me a aprofundar mais umas técnicas de tecelagem e fazer um open day. Em suma, março será assim, mas prometo ir desvendando por aqui à medida que os dias se vão aproximando. 
Conto com vocês desse lado!