Babies

23.2.15


Do cineasta francês, Thomas Balmès, "Babies" é um documentário de 2010 que mostra o primeiro ano de vida de quatro babés de culturas diferentes.  Já muito tinha ouvido falar sobre ele, e vocês provavelmente também, mas só hoje decidi dedicar parte da tarde para o ver. O documentário é o resultado de mais de 400 dias de filmagens entre a Mongólia, Estados Unidos, Japão e Namíbia e sem narrador, mostra que no fundo, o começo da vida de todos nós não é assim tão diferente. Entre o parto, birras, brincadeiras e choros o que nos distingue é a cultura e o ambiente onde somos criados. Numa altura em que, quanto a mim, por vezes caímos nos excessos de protecção, ver tamanhas diferenças faz-nos perceber que é no equilíbrio que está o ganho. O documentário mostra ainda a relação entre os bebés e quem os cria, mostrando que ser pai ou mãe não é uma condição biológica, mas sim, uma construção para a vida. Para quem ainda não teve a oportunidade de ver, fica em jeito de inspiração/sugestão para a semana, com os votos de que seja inspiradora.







ponto ❍

12.2.15

É um "ponto" quase terapêutico, tal é a boa sensação que dá mexer nele. Foi um desafio e tanto e uma peça demorada. Para terem uma ideia, cada "farripa" daquele ponto foi feita individualmente, de forma minuciosa e com toda a paciência exigida. Foi uma peça que foi nascendo lentamente, mas que me agarrou a cada detalhe. Está pronta e tem casa nova à espera, mas confesso, vou ter saudades dela na minha sala...por cima da manta mexicana, ficava no ponto!

Detalhes da peça:
medidas: 50 x 70 cm
cores: bege e bordeaux ou marsala
materiais: 100% lã com suporte em vara de madeira e fio de cabedal


28 semanas

11.2.15

Entrámos no último trimestre! Cheios de altos e baixos até aqui, mas cá estamos. Os últimos tempos não foram fáceis, em 10 dias despedimo-nos de dois pilares da nossa vida, foi um golpe duro mas que temos vindo a conseguir ultrapassar com uma serenidade que tem alturas que até assusta. Durante os dias mais difíceis, os teus pontapés foram um relógio para mim, lembravam-me que tinha de comer, de descansar, de preparar a tua chegada...Por falar nisso, muitas vezes me perguntam se estou ansiosa por te ver. Chama-me egoísta, mas ainda não estou. Sinto que estes seis meses passaram tão rápido que me apetece parar o relógio para aproveitar cada minuto que ainda estás só comigo. Deves estar grande, tendo em conta o tamanho da minha barriga, e dás pontapés freneticamente todas as santas noites...És um charme de rapaz.   

o que é te move?

2.2.15

Free People Movement from Stuart Winecoff on Vimeo.

O que te move a ir mais além? A acreditar que é possível mesmo quando todos à tua volta dizem que não? A arriscar e a superar-te? Descobrir o que nos move é o caminho para encontrarmos o nosso Elemento - o lugar onde fazemos o que queremos fazer e somos os que queremos ser. O lugar onde encontramos a nossa realização pessoal. É uma pergunta para queijinho, mas pode ser uma pergunta interessante para reflectir durante a semana. Fica o vídeo de inspiração e os votos de uma óptima semana.